Campanha Diga NÃO à extinção de comarcas. Diga SIM à ampliação do acesso à Justiça é lançada na Justiça Federal

O presidente da OAB Ceará, Marcelo Mota, esteve na manhã desta quinta-feira (10/08), na sede da Justiça Federal para lançar a campanha “Diga NÃO à extinção de comarcas. Diga SIM à ampliação do acesso à Justiça”. A iniciativa vem ganhando volume na Capital e no Interior. Na ocasião, Mota dialogou com a advocacia militante durante café da manhã.

“Mostramos para os colegas a importância desse movimento que estamos fazendo para barrar a extinção das comarcas no interior. Não podemos aceitar que a sociedade seja penalizada mais uma vez e tenha o seu direito de acesso à Justiça negado”, disse o presidente.

“A sociedade já se recente da Justiça que não chega a ela de forma ágil e célere. Com a extinção, estão tirando da sociedade o direito de ter acesso ao Poder Judiciário, sobretudo para quem vivencia no Interior, com a falta de juiz, defensor e promotor público”, disse o advogado Domingos Alves, que também elogiou a participação da OAB-CE: “Testemunhar o dia a dia do advogado é muito importante. Lembrar o dia do advogado é histórico. A presença da OAB é muito salutar”.

SEMANA

Ao longo da semana, a Ordem cearense promoveu iniciativas em prol da aplicação do acesso à Justiça e contra o projeto de lei que tramita na Assembleia e foi proposto pelo Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE) visando a extinção de 60 comarcas do Interior do Estado.

Na tarde dessa segunda-feira (07/08), o presidente Marcelo Mota, se reuniu com vereadores representantes da União dos Vereadores do Ceará (UVC). Em pauta, o projeto de reorganização Judiciária. A UVC, assim como a OAB-CE, é contra a proposta e vai tratar desse assunto com os demais representantes estaduais.

Na última sexta-feira (04/08), a Comissão de Liberdade Religiosa promoveu reunião ecumênica para debater o tema. Um dia antes, a OAB esteve na Subsecção de Itapipoca onde promoveu ato público com participação de advogados, servidores e sindicalistas, contra o desmonte do Judiciário de 1º Grau no município. A ação teve à frente a Subseccional de Itapipoca.