OAB-CE participa de eventos no interior do Estado

Na última sexta-feira (26/01), a comitiva da OAB Ceará esteve presente em Iguatu para inaugurar a galeria de ex-presidentes da Subsecção da região, bem como a reforma do prédio da seccional de Iguatu. Na ocasião, também houve o lançamento do livro “CNJ na Perspectiva da Advocacia – Coletânea de Julgados”, de autoria do conselheiro do CNJ, Valdetário Monteiro.

De acordo com o presidente da OAB-CE, Marcelo Mota, é uma grande alegria participar desse momento. “É um esforço da nossa diretoria, do conselho, mais especialmente do presidente de Iguatu, Marco Antônio Sobreira, que é um grande líder e que não mede esforços para estar lado a lado da advocacia. Poder entregar aqui hoje essa subsecção com o auditório totalmente remodelado, mostra isso é fruto de um trabalho certeiro da Ordem e que estamos irmanados nessa grande missão que é representar a advocacia cearense”, ressalta.

Segundo o presidente da subsecção de Iguatu, Marco Antônio Sobreira, a inauguração da galeria resgata a memória. “É Resgate histórico para todos os ex-presidentes que fizeram a história brilhante dessa subsecção. Esse momento também marca a reforma e modernização, que existe há mais de 20 anos”, explica.

Também estiveram presentes o presidente da OAB Região Metropolitana, Raphael Pessoa Mota; o presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, Sávio Aguiar; o presidente da Comissão de Direitos Humanos, Deodato Ramalho Neto; o presidente da Comissão da Pessoa Idosa, Raphael Castelo Branco.

Lançamento do livro
O Conselheiro do CNJ e ex-presidente da OAB, Valdetário Monteiro, que lançou o livro “CNJ na Perspectiva da Advocacia – Coletânea de Julgados”, explica que a obra é um receptáculo de todas as questões administrativas que envolvem os tribunais do Brasil. O livro também é de autoria do presidente da OAB Nacional, Cláudio Lamachia. “Quando resolvemos compilar essa obra com outros autores, tivemos a ideia de incluir as decisões do CNJ em todos os temas debatidos com a advocacia, para que a perspectiva do Conselho Nacional de Justiça seja colocada”, ressaltou Valdetário.