Comissão inspeciona Hospital Municipal de Maracanaú

A Comissão de Direito de Saúde da OAB-CE, junto aos dirigentes da Subsecção da Ordem na Região Metropolitana, liderada pelos presidentes, Ricardo Madeiro e Raphael Pessoa Mota, respectivamente, inspecionaram, na manhã desta quinta-feira (08/02), o hospital João Elísio de Holanda, na cidade de Maracanaú – RMF. A iniciativa partiu após uma denúncia de fechamento da unidade de Urgência e Emergência do hospital.

Durante a visita, foi constatada uma greve do corpo clínico do hospital, mas que não está afetando no funcionamento da unidade, que está com cerca de 80% da capacidade de lotação. Além disso, segundo o presidente da Comissão de Direito da Saúde da OAB-CE, Ricardo Madeiro, na unidade existe uma precarização na forma de contratação, com irregularidades causadas pela terceirização precária, e falta de equipamentos. “Acreditamos que são coisas que podem ser resolvida com a aliança de todos os órgãos, incluindo a OAB e os próprios gestores. Acredito que em breve poderemos chegar ao consenso”, disse.

No entendimento de Madeiro, qualquer deficiência na saúde pública da RMF pode interferir diretamente nas unidades hospitalares da capital cearense. “A partir dessa denúncia, tivemos a oportunidade de visitar o hospital com o Conselho de Enfermagem, Conselho de Terapia, Sindicato dos Médicos e diversas outras entidades. Identificamos três pontos de atenção: a parte estrutural, medicamento e equipamentos e o corpo clinico”, relata Ricardo Madeiro.

Na ocasião, o presidente da Subsecção da OAB-CE na Região Metropolitana, Raphael Pessoa Mota, parabenizou a iniciativa e disse estar atento sobre as condições de atendimento a população de Maracanaú e toda a região, que comporta cerca de 600 mil pessoas. “Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) encontra uma dificuldade e não diferente encontramos aqui também. Verificamos pontos que efetivamente deverão ser encaminhado aos órgãos competentes visando à melhoria. São situações como essas que precisamos pedir a prefeitura para melhorar e oferecer um atendimento de saúde digno”, destacou Raphael Pessoa Mota.

Encaminhamentos
A Ordem cearense deve se reunir com o Ministério Público, que desenvolve ações relacionadas ao trabalho, com a frente parlamentar de saúde na Assembleia Legislativa, representado pela Comissão de Saúde da Casa, entre outros órgãos que possam contribuir. “A OAB-CE tem atuado de forma incansável e devemos tomar algumas deliberações, com Audiências Públicas ou através de reuniões com o secretario de saúde local, gestores e secretario do estado”, conclui Ricardo.