Participaram de uma reunião com a superintendência da área judiciária do Tribunal de Justiça do Ceará (SEJUD), nesta terça-feira (26), na sede do órgão, em Fortaleza, o presidente da OAB Ceará, Erinaldo Dantas; o tesoureiro da Secional, Rodrigo Costa; o diretor da jovem advocacia, Fernando Martins; os presidentes das Subsecções do Crato e do Juazeiro do Norte, Francivaldo Lemos e Reno Feitosa, respectivamente; e membros da diretoria da Subsecção de Sobral, Raphael Viana (vice-presidente) e Ranulfo Rodrigues Júnior (tesoureiro).

O encontro foi fruto de uma articulação do presidente Erinaldo Dantas, que esteve na região do Cariri, na última sexta-feira (23). Ocasião em que se reuniu com os presidentes das subsecções da Região do Cariri para debater as questões relacionadas às prerrogativas da advocacia e à implantação da Secretaria Judiciária, na região.

Para Erinaldo Dantas, o bom funcionamento da Sejud é um pleito urgente. “Implica diretamente no bom funcionamento do judiciário, na qualidade do trabalho da advocacia e quem colhe os frutos é a sociedade. Já tínhamos uma reunião marcada para esta terça-feira e aproveitamos para articular esse momento”, afirmou.

Na reunião com o Superintendente da área judiciária do Tribunal de Justiça do Ceará, Nilsiton Aragão, o presidente da Subsecção do Crato, Reno Feitosa, apresentou, a reclamação de toda a advocacia da região sul do Ceará, que trata sobre o trabalho que vem sendo realizado pela Secretaria Judiciária Regional, que engloba Crato, Juazeiro e Barbalha. “No Crato, quando um juiz determina a liberdade provisória de alguém, demora de 5 a 15 dias para que a decisão seja cumprida efetivamente. Dessa forma, nem a pessoa que está presa compreende, nem a família e, de certa forma, esse atraso recai sobre a advocacia. O presidente do Tribunal é sensível a esse problema e está com excelentes propostas para resolução dessa questão”, explicou.

De acordo com o presidente da subsecção de Juazeiro do Norte, Francivaldo Lemos, o sistema ainda não está funcionando de forma adequada. “As demandas na região do Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha estão muito grandes e a secretaria ainda não consegue atender tudo. Precisamos de mais celeridade para resolução das decisões judiciais”, afirmou.

Nilsiton Aragão, explicou que há vagas específicas para a Sejud no Crato, Juazeiro e Barbalha. “Queremos fortalecer o gabinete e ampliar os terceirizados são algumas propostas. Só depois de um diagnóstico mais preciso, será possível resolver as dificuldades existentes nessa região. Estamos trabalhando por um serviço que tem que funcionar”, afirmou.