O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (CFOAB) nomeou a advogada, vice-presidente da OAB Ceará, Christiane do Vale Leitão, como secretária da Comissão Nacional da Mulher Advogada, para a gestão 2022-2025. A designação ocorreu através da portaria Nº 738/2022, assinada no dia 27 de abril, pelo presidente da OAB Nacional, José Alberto Simonetti, e pelo coordenador-geral das Comissões e Procuradorias do CFOAB, Felipe Sarmento Cordeiro.

Christiane Leitão, também presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB Ceará e coordenadora de Comissões Temáticas da seccional cearense, agradeceu pela nomeação. “É com extrema felicidade e senso de responsabilidade que assumo mais essa missão que me foi delegada pelo presidente Beto Simonetti, por Felipe Sarmento, coordenador-geral das Comissões e Procuradorias do CFOAB e também pela querida presidente da Comissão Nacional da Mulher Advogada, Christiane Damasceno, de compor a diretoria da CNMA. Nossas responsabilidades só aumentam, ganhando ainda maior dimensão a nossa luta pela afirmação dos direitos femininos na sociedade”, disse.

A vice-presidente da Ordem Alencarina, explicou as pautas e temáticas que serão potencializadas pela diretoria da CNMA. “A CMA-CE e a CNMA, trabalharão em conjunto, levando de forma ainda mais forte a luta pelas prerrogativas e pela dignidade da advocacia feminina, em especial, iremos desenvolver ativamente a campanha do assédio na advocacia, chamado “Advocacia sem Assédio”. Campanha esta que já iniciou e que irá agora ser expandida, criando um canal de denúncias, contra a questão do assédio, que é um dos grandes problemas que enfrentamos. Com muita confiança iremos caminhar nessa nova empreitada, sabedores que temos que dar as mãos para o combate a essas práticas que ainda geram tantas dificuldades”, finalizou.

Erinaldo Dantas, presidente da OAB Ceará, celebrou a nomeação. “Para todos nós, é motivo de muita alegria termos representantes da nossa seccional nos quadros da OAB Nacional, principalmente nossa vice-presidente Christiane Leitão, que tem desenvolvido um excelente trabalho na luta da advocacia feminina. A escolha foi incisiva e acredito que muitos serão os resultados e frutos que a Comissão trará para a sociedade e para a defesa da advocacia feminina”, afirmou.