Na tarde do dia 17 de novembro, no Conselho Pleno da Ordem, advogados e advogadas estiveram reunidos para discutir o Orçamento Participativo da Ordem referente ao ano de 2017. Essa foi a segunda vez que a Ordem realizou a ação. Neste ano (2017), uma novidade foi acrescentada: os participantes tiveram a oportunidade de enviar sugestões e críticas via email orç[email protected] As medidas previstas foram acatadas na Sessão do Pleno, realizada no dia 22 de novembro.

A iniciativa é pioneira entre todas as Seccionais do Brasil. A proposta da entidade coloca em prática uma das campanhas da atual diretoria: a aproximação da entidade com a advocacia e a sociedade. “O orçamento participativo permite que a advocacia interaja e contribua com o aperfeiçoamento da nossa estrutura, fortalecimento da classe, valorização, clareza e transparência na gestão”, disse o presidente Marcelo Mota.

Foi em 2016 que, pela primeira vez na história da OAB-CE, advogados e advogadas discutiram o orçamento participativo da entidade para o ano subsequente. O orçamento participativo é um instrumento de democracia representativa, pois permite a participação efetiva de todos nos debates e nos destinos de uma gestão. Por meio desse instrumento, a classe advocatícia decidirá as prioridades de investimentos a serem realizados em 2018, com os recursos da Ordem.