VII Conferência Internacional de Direitos Humanos reúne mais de 2 mil advogados durante os três dias de evento

O encerramento da Conferência Internacional de Direitos Humanos ocorreu na noite desta sexta-feira (25/05), no Centro de Eventos de Fortaleza. O evento, que é considerado o maior evento da advocacia do ano de 2018, debateu sobre diversas temáticas relacionadas à garantia dos direitos humanos. Durante os três dias de evento, cerca de 2 mil advogados e advogadas estiveram presentes acompanhando painéis e fóruns. A palestra magna de encerramento ficou por conta do presidente da OAB da Bahia, Luiz Viana, que tratou sobre “Democracia e Direitos Humanos no Sistema Interamericano de Direitos Humanos”.

De acordo com o presidente da OAB-CE, Marcelo Mota, foram tratados temas relevantes que vão além dos direitos da advocacia, porque também falam de cidadania, democracia e liberdade. “Queremos respeito as nossas leis, para que as grandes diferenças sociais que existem em nosso país sejam diminuídas e para que possamos dar um basta na violência de uma maneira geral. Vale ressaltar que devemos lutar juntos e irmanados para que tenhamos uma sociedade justa e livre”, disse.

O presidente da OAB da Bahia, Luiz Viana, ressaltou em sua palestra que a democracia é indispensável para o efetivo exercício dos direitos humanos. “A tolerância vem como um elemento essencial à proteção dos direitos humanos e da democracia. É importante frisar que os direitos humanos requer o exercício pleno dos direitos dos trabalhadores e da norma trabalhista básica”, explicou.

Para o presidente da OAB Nacional, Claudio Lamachia, o evento foi um sucesso e veio para afirmar a participação da advocacia na promoção dos direitos humanos. “Devemos reconhecer que resta um longo caminho para que estes direitos sejam plenamente efetivados, mas para que possamos trilhá-los, é imprescindível que a advocacia continue a reafirmar o seu protagonismo na defesa dos interesses da coletividade”, disse. Lamachia ainda parabenizou a liderança do presidente Marcelo Mota. “Gratidão é dívida que não prescreve ao presidente Marcelo e eu serei eternamente grato por todo trabalho que tens feito liderando a OAB Ceará”, acrescentou.

Presente no encerramento, o diretor tesoureiro da OAB Nacional, Antônio Oneildo, reforçou que todos do sistema OAB estão renovados e revitalizados depois da VII Conferência Internacional de Direitos Humanos.